quarta-feira, 4 de junho de 2014

Vizinho

Quando começamos a obra de nossa casa, o barracão foi construído de forma a facilitar a estocagem do material e o acesso dos trabalhadores, portanto - indevidamente, eu admito, nosso barracão foi construído fora de nossa propriedade, no terreno paralelo ao nosso. Durante esse um ano de obra não tivemos contato algum com nosso possíveis futuros vizinhos: na nossa rua, somos apenas a segunda construção, e inocentemente acreditamos que continuaríamos assim por muito tempo.

Há algum tempo fomos informados que o terreno acima havia sido vendido: passamos o trator e retiramos a terra que havia sido depositada lá a ser utilizada, posteriormente para aterro (aquela que fica na frente da nossa casa, criando mato. Da última vez que estive lá, tinha até um pé de "mamona" que me fez lembrar dos tempos de infância e das guerras de mamona dos meninos). Mas até agora, nada de vizinho.

O pedido da vez é do retirada do barracão de obra e da 'fossa' que os pedreiros construiram. Dessa forma precisaremos agilizar algumas demandas que deixaríamos para um pouco depois: 1) retirada do entulho que ocupa todo nosso quintal, 2) nivelamento dessa área, com movimentação de terra e tudo o que for necessário, 3) realocação do material armazenado no barracão de obras sabe Budda onde e 4) obviamente a destruição do barracão de obras.

Acho que deixei algumas pequenas novidades para traz: enquanto o Paulo está de 'férias' (o que por mim ele faria em Alcatraz ou junto com Bafomé), Meiriovaldo fará alguns serviços na obra, tais como término da colocação das pingadeiras, contra-piso e colocação das bancadas.

Felipe também deu um $$$ para um trabalhador do condomínio, Hélio/Roberto para que ele maquiasse nossa obra: tirar a terra com mamona da frente da nossa casa, aterrar o local onde será nossa área de churrasqueira, e acho que só!

 Força na peruca, que se tivermos na mão... ai, vai ter gente levando soco e tapa na terceira potência.